Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
Tratar de Mim


O que é o programa Tratar de Mim?
 
Tratar de Mim é um programa de literacia em saúde desenvolvido pela APIFARMA/OTC, em parceria com a  ANF - Associação Nacional das Farmácias, a DGS - Direcção-Geral da Saúde, o INFARMED - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P., Ordem dos Farmacêuticos, a Ordem dos Médicos e a Valormed, para a consciencialização da população portuguesa para a importância da utilização responsável e segura dos medicamentos não sujeitos a receita médica para o alívio e tratamento dos sintomas de saúde de menor gravidade.
 
Com o programa Tratar de mim estamos comprometidos em desenvolver materiais informativos que permitam o cidadão e também o profissional de saúde a saber como orientar as decisões individuais em saúde. Actualmente, já é possível obter folhetos informativos sobre a utilização segura e responsável dos Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica, “como organizar a sua farmácia de medicamentos”, Febre, Gripes e Constipações e Dores de Garganta. 
Progressivamente irá ser alargada a informação e aconselhamento a temas de saúde de interesse geral para a população e desenvolver acções formativas em universidades e escolas do país.
 
O programa Tratar de Mim visa incentivar as pessoas a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde, explicando de forma simples e clara em que situações deverá procurar aconselhamento farmacêutico e em que situações deverá recorrer ao seu médico.
 
O incentivo a uma melhor Saúde passa também pela qualidade da informação que está disponível para os cidadãos e lhes permite tomar decisões conscientes de autocuidado, cujo impacto positivo se estende para além da saúde individual e se repercute positivamente no próprio sistema de Saúde.
 
 
Mensagens-Chave Tratar de Mim
  • Medicamentos não sujeitos a receita médica: um valor na saúde e na economia.
  • Utilização responsável e segura dos medicamentos não sujeitos a receita médica.
  • Esclarecimento da população sobre quais as situações passíveis de serem tratadas com recurso a medicamentos não sujeitos a receita médica.
  • Capacitar a população sobre quais os medicamentos não sujeitos a receita médica e em que circunstâncias podem e devem ser utilizados.
  • Contribuir activamente para uma melhor literacia em saúde da população portuguesa.
  • Vantagens de uma utilização correcta dos medicamentos não sujeitos a receita médica.
 
Tratar de Mim para resolução de problemas de saúde sem gravidade
 
Sabia que, em países como o Reino Unido, uma em cada cinco consultas são para tratamento de problemas de saúde menores, tais como dores de cabeça, tosse, gripes e constipações, ou até dor nas costas. (Fonte: Selfcare Forum).
 
A maioria das pessoas sabe que estes sintomas não constituem um problema sério de saúde, no entanto procuram na consulta médica um alívio rápido dos seus problemas de saúde, para além de quererem saber o tempo que estes sintomas irão permanecer ou o que fazer em caso de alteração dos sintomas. 
 
A boa notícia é que o este programa pode ajudá-lo a gerir a maioria desses problemas. E lembre-se que ao tratar de si está também a libertar recursos ao SNS e tempo ao seu médico de família, tornando mais simples conseguir uma consulta rápida quando estiver efectivamente na presença de uma doença com sintomas mais graves.
 
O programa Tratar de Mim disponibiliza folhetos informativos que o podem ajudar nesta tarefa de alívio e tratamento de sintomas de saúde de menor gravidade. Estes folhetos fornecem informação útil sobre o seu estado de saúde, e ajudam-no a perceber em que circunstâncias poderá recorrer à utilização dos medicamentos não sujeitos a receita médica de forma responsável, rápida, simples, segura e de fácil acesso. Faça download dos materiais informativos aqui.
 
E lembre-se que o acesso rápido e fácil à sua farmácia, o aconselhamento farmacêutico e os medicamentos não sujeitos a receita médica ajuda-lo-ão no alívio imediato destes pequenos problemas de saúde.
 
Trate de Si!
 
 
1. COMPROMISSO
Reconhecer a importância do programa Tratar de Mim para a gestão individual da saúde de cada cidadão e para a sustentabilidade do SNS, nomeadamente através da capacitação do doente para tratar de si e da redução da procura de consultas médicas no SNS;
 
Enquanto profissional de saúde comprometo-me a informar, educar e apoiar todos os doentes e cidadãos para a importância do programa Tratar de Mim.
 
Enquanto doente comprometo-me a Tratar de Mim procurando, em primeiro lugar, aconselhamento farmacêutico e, só ao fim de cinco dias, caso os sintomas persistam, é que procurarei aconselhamento médico.
 
 
2. OBJECTIVO
Envolver os profissionais de saúde – médicos, farmacêuticos e enfermeiros -, a promover e partilhar conselhos sobre a utilização de medicamentos não sujeitos a receita médica, bem como a introduzir objectivos individuais de saúde, em termos de decisões conscientes de autocuidado, reconhecimento de sintomas e quando procurar aconselhamento médico ou farmacêutico. Porque conhecimento é poder.
 
3. AGENTE DE MUDANÇA
O tempo para agir é agora. Por isso seremos todos agentes de mudança: Ministério da Saúde, profissionais de saúde, doentes e cidadãos para que a saúde esteja em primeiro lugar. Até que a ideia de tratar de mim, seja tão natural como respirar. O investimento que soubermos fazer hoje em Saúde é, indubitavelmente, uma aposta no futuro, no desenvolvimento da sociedade portuguesa, na qualidade de vida dos cidadãos e na redução e optimização de encargos, a longo prazo, dos serviços de Saúde.
 
4. FAZER A DIFERENÇA
Incentivar os profissionais de saúde a apoiarem o doente a tratar de si, desenvolvendo para isso mecanismos que incentivem as práticas saudáveis, a prevenção de doenças e o equilíbrio do corpo e da alma. Porque uma vida sã é muito mais que não ficar doente. Estão disponíveis folhetos informativos sobre a utilização segura e responsável dos Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica e sobre a “organização da sua farmácia de medicamentos”, bem como a sua melhor forma de os conservar. Progressivamente irá ser alargada a informação a temas de saúde de interesse geral para a população e desenvolver acções formativas em universidades e escolas do país.
  
5. TRANSFORMAÇÃO DE HÁBITOS
Incentivar os médicos a avaliar os doentes relativamente à sua condição para gerir de forma autónoma a sua saúde e identificar aqueles que estão mais receptivos a receber informação sobre como tratar de si próprios e a promover a prática da automedicação. A redução da procura de consultas por parte dos doentes para tratar de situações de saúde ligeiras irá libertar tempo aos profissionais de saúde para que se dediquem a doentes com situações de doença mais graves.
 
6. CAPACITAÇÃO
Reforçar e apoiar o doente a tratar de si para que haja uma maior responsabilidade pela sua saúde e pelo bem-estar e das suas famílias. Fazer com que cada um se junte a mim nesta missão. Porque uma vida saudável começa em cada um.
 
7. PRIMEIRA PESSOA
Falar da saúde na primeira pessoa. Fazer dela a minha prioridade, porque uma vida saudável é uma vida muito mais feliz. Sou responsável pela forma como trato de mim e por isso melhoro a minha qualidade de vida, estabeleço sentimentos de auto estima e de confiança em mim e nos meus comportamentos. 
 
 
 
 
PESQUISA RÁPIDA
 

 

 
AGENDA
ASSOCIAÇÕES DE DOENTES
DÍVIDAS HOSPITALARES
INDICADORES
LISTA DE ASSOCIADOS
NOTÍCIAS
PROGRAMA DE ESTÁGIOS NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA
PEDIDO DE INSCRIÇÃO NA APIFARMA
CONTACTOS     |      LINKS ÚTEIS     |      FAQ'S     |      POLÍTICA DE PRIVACIDADE     |      MAPA DO SITE